2019

Estatísticas do ano de 2019 – LCME

 

Nas seções a seguir são apresentados dados gerais sobre usuários e utilização dos microscópios durante o ano de 2019, sob forma de gráficos.

 

 

Uso e Manutenção dos Microscópios – 2019

 

No gráfico 19.1 são apresentadas as horas de utilização e de manutenção dos microscópios eletrônicos de varredura MEV e FEG. O MEV, como de costume, apresentou uma utilização excelente ao longo do ano, principalmente entre maio e novembro, com períodos de menor uso no início do ano e em dezembro devido às férias de grande parte dos usuários. Houve também uma queda no número de horas de uso no mês de outubro, devido a problemas no sistema de vácuo. O FEG, também como de costume, apresentou um número de horas de uso mais baixo em relação ao MEV em quase todos os meses, pois é um equipamento mais complexo, tendo um número de usuários autorizados menor. Além disso, grande parte das necessidades de análises com microscópios de varredura são supridas pelo MEV.

No mês de outubro, entretanto, dados os problemas com o MEV, uma parte das análises foram realizadas com o FEG, o que justifica o aumento do uso deste último no referido mês.

Gráfico 19.1 – Uso e Manutenção do MEV e do FEG no ano de 2019.

No gráfico 19.2 são apresentadas as horas de utilização e de manutenção dos microscópios eletrônicos de transmissão TEM 100 kV e TEM 200 kV. O TEM 100 kV apresentou uma boa utilização, sobretudo entre os meses de abril e dezembro. O microscópio passou por uma semana de manutenção preventiva no mês de fevereiro e alguns episódios de troca de filamento ocorreram nos meses em que a manutenção se pronuncia no gráfico.

Com relação ao TEM 200 kV, a taxa de utilização foi bastante alta em comparação aos anos anteriores, mesmo sendo este microscópio usado por usuários muito especializados. Períodos de manutenção foram necessários por várias causas, principalmente por problemas no sistema de vácuo, no mês de julho. Em agosto o microscópio passou por uma semana de manutenção corretiva.

Antes disso, o microscópio continuou sendo utilizado para outras funções, como EDS e difração de elétrons.

Gráfico 19.2 – Uso e Manutenção do TEM 100 kV e do TEM 200 kV no ano de 2019.

No gráfico 19.3 são apresentadas as horas de utilização e de manutenção dos microscópios confocal e de fluorescência. Com o reparo do microscópio confocal (que permaneceu fora de funcionamento durante boa parte de 2018), as análises voltaram a ser realizadas neste equipamento, de forma que o microscópio de florescência ficou subutilizado.

No mês de junho o microscópio de florescência passou por manutenção preventiva.

Gráfico 19.3 – Uso e Manutenção dos Microscópios Confocal e de Fluorescência em 2019.

No gráfico 19.4 são apresentados os números de horas totais de uso e de manutenção durante o ano para cada um dos microscópios. É possível ver que o MEV permaneceu sendo o equipamento mais utilizado, uma vez que a maioria das solicitações de análises no LCME, como de costume, foram para microscopia de varredura com magnificações relativamente baixas. O segundo microscópio mais utilizado permaneceu sendo o TEM 100 kV, como nos anos anteriores.

Gráfico 19.4 – Uso e Manutenção Totais de todos os Microscópios do LCME em 2019.

Finalmente, no gráfico 19.5, tem-se a média mensal de uso de cada microscópio nos anos de 2014 a 2019. Confirma-se aí o que se mencionou a respeito do MEV, que permaneceu sendo o microscópio mais utilizado, tendo seu pico de utilização em 2019 (140,8 h/mês), acontecendo o mesmo com o FEG (62,8 h/mês) e o TEM 200 (56,8 h/mês).

Gráfico 19.5 – Média Mensal de Uso dos Microscópios do LCME de 2014 a 2019.

 

 

Uso dos Microscópios por Centro da UFSC – 2019

 

Nos gráficos 19.6 a 19.11 a seguir são apresentados os dados de uso, por Centro de Ensino da UFSC, para cada microscópio do LCME e para o conjunto de todos os microscópios. Em geral, como será possível ver, o Centro que mais submeteu projetos foi o CTC, como tem ocorrido usualmente ao longo dos anos. Nas legendas, após a sigla do centro, é apresentado o número absoluto de projetos e o percentual que este número representa no total de projetos (o qual está indicado num dos cantos dos gráficos).

No gráfico 19.6 são apresentados os dados relativos ao uso do MEV durante o ano de 2019. É possível verificar que o CTC e o CFM foram os centros que mais usaram esse equipamento (juntos, correspondem a 66% dos projetos atendidos no MEV, sendo que o CTC, sozinho, apresentou mais da metade dos projetos atendidos no microscópio – 55%).

Gráfico 19.6 – Uso do MEV por Centro da UFSC em 2019.

O gráfico 19.7 apresenta os dados com relação ao uso do FEG. O CTC, como nos anos anteriores, foi o grande usuário deste equipamento, com 62 % dos projetos, seguido de longe pelo CFM. Já o CCB e o CFH não utilizaram este microscópio, pois suas necessidades com microscopia de varredura foram satisfatoriamente atendidas com o uso do MEV, também como verificado em anos anteriores.

Gráfico 19.7 – Uso do FEG por Centro da UFSC em 2019.

Para o TEM 100 kV, o gráfico 19.8 apresenta os dados de uso. Como de costume, o CTC e o CFM foram os maiores usuários, tendo apresentado, juntos, 58% dos projetos atendidos neste microscópio. Como em anos anteriores, o CCB apresentou número de projetos superior ao do CCA – porém em 2018 os dois Centros empataram, com 16% dos projetos cada um. Não houve solicitação de uso por parte do CFH, a exemplo do verificado em anos anteriores, como é possível constatar.

Gráfico 19.8 – Uso do TEM 100 kV por Centro da UFSC em 2019.

Em 2019 houve um aumento significativo no número de projetos atendidos no TEM 200 kV: foram 25 projetos no total. Em 2018 foram constatados somente 3 (três), todos do CTC, e o maior número de projetos tinha sido verificado no ano de 2014: 16. Na UFSC, o CTC e o CFM são os centros que costumam utilizar esse equipamento, mas em 2019 o maior uso (68%) se deu por instituições externas à UFSC, como ilustrado pelo gráfico 19.9.

Gráfico 19.9 – Uso do TEM 200 kV por Centro da UFSC em 2019.

Com relação ao microscópio confocal, praticamente metade dos projetos analisados e atendidos foram do CCB, como é possível verificar no gráfico 19.10. O CFH não utilizou o equipamento em 2019, como em anos anteriores. Com a resolução de problemas que o microscópio apresentou durante o ano de 2018, seu uso voltou a patamares normais – em 2018 foram atendidos somente 8 (oito) projetos e, em 2019, 41.

Gráfico 19.10 – Uso do Microscópio Confocal por Centro da UFSC em 2019. 

Finalmente, no gráfico 19.11 é possível ver os números totais, englobando todos os microscópios, para o ano de 2019, por Centro de Ensino. Como em anos anteriores, o CTC foi o Centro que mais usou os recursos do LCME, como se constata (46% dos projetos, assim como em 2018). Pela segunda vez, o CFM superou o CCB no percentual de projetos, sendo assim o segundo centro com a maior quantidade de projetos atendidos – 15%, contra 11% do CCB.

Em relação aos usuários externos, 2019 foi o ano em que mais se atenderam esses usuários, sendo que eles representaram 13% dos projetos. Até então, o maior percentual de projetos desses usuários tinha sido verificado no ano de 2018: 11%. Esse percentual tem crescido ao longo dos anos.

Gráfico 19.11 – Uso Geral do LCME por Centro da UFSC em 2019. 

 

 

Uso dos Microscópios por Docentes e Discentes – 2019

 

Nos gráficos de 19.12 a 19.16 são apresentados os dados para a distribuição dos usuários (professores, alunos, pós-doutorandos etc.) para cada microscópio.

Nos gráficos, a segunda coluna (em vermelho) corresponde à soma de todas as colunas à sua direita (ou seja, à soma de todos os alunos usuários do microscópio em questão). A coluna “outros” corresponde aos usuários ligados a parcerias firmadas com outras instituições, correspondendo a órgãos públicos ou a empresas privadas.

Destes dados, pode-se dizer que, em média, 1,5 alunos por professor foram usuários do LCME em 2019, sendo que a grande maioria é de alunos de pós-graduação (sobretudo doutorandos, como se vê em cada gráfico).

Corroborando os resultados anteriores, os microscópios que mais tiveram usuários em 2019 foram o MEV e o TEM 100 kV (200 e 98, respectivamente), como já vinha sendo verificado em anos passados.

Gráfico 19.12 – Uso do MEV por Professores e Alunos em 2019.

Gráfico 19.13 – Uso do FEG por Professores e Alunos em 2019.

Gráfico 19.14 – Uso do TEM 100 kV por Professores e Alunos em 2019.

Gráfico 19.15 – Uso do TEM 200 kV por Professores e Alunos em 2019.

Gráfico 19.16 – Uso do Confocal por Professores e Alunos em 2019.

 

 

Evolução do Número de Solicitações Submetidas ao LCME

 

No gráfico 19.17 é apresentado o volume de solicitações (ou projetos) submetidas(os) ao LCME desde a sua criação, em 2007 (mas o efetivo funcionamento se deu ao final de 2008).

É possível dizer, atualmente, que os microscópios eletrônicos MEV, FEG e TEM 100 kV têm atendido um número médio de projetos por ano de 200, 50 e 100, respectivamente.

Como já comentado, com a resolução de problemas que o microscópio Confocal apresentou em 2018, esse equipamento praticamente retomou seu uso normal: em 2019 foram atendidos 41 projetos, contra somente 8 (oito) em 2018. Também como já mencionado, em 2019 o TEM 200 kV apresentou a sua maior taxa de utilização já registrada, de 25 projetos.

Mais uma vez, o MEV e o TEM 100 kV permaneceram os microscópios com maior demanda.

No total de projetos, em 2019 foram atendidos 439, o maior número já registrado, seguindo a tendência crescente indicada desde 2015. Uma grande justificativa para isso foi o atendimento aos usuários por 12 horas diárias ininterruptas ao longo do ano.

Gráfico 19.17 – Evolução do Número de Solicitações de Análise por Equipamento do LCME de 2008 a 2019.

 

 

 

Fonte:

LCME – Laboratório Central de Microscopia Eletrônica. Universidade Federal de Santa Catarina.